Music From ParaíbaUma banda com pegada de jazz com características brasileiras e outra com ênfase na percussão prometem agitar a edição de maio do projeto Music From Paraíba que acontece no domingo (21). As convidadas são as bandas Pôr do Som (Alamiré) e Percussons e o show começa às 19h na Sala de Concertos Maestro José Siqueira, localizada no Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa. Durante o evento, a Funesc entregará os exemplares da coletânea aos artistas selecionados pelo edital referente à 3ª edição do projeto. A entrada é gratuita.

Atualmente conhecida como banda Alamiré, Pôr do Som é um projeto iniciado em meados de 2010 pelos músicos, compositores e arranjadores paraibanos Rudá Barreto e Uaná Barreto, que apesar de muito jovens já acumulam larga experiência musical, inclusive com atividades profissionais no exterior, em projetos culturais realizados no Senegal e na Gâmbia. O repertório do grupo, composto em sua maioria por músicas autorais, passeia pela música instrumental com influências jazzísticas, africanas e brasileiras e também pelo universo da canção sempre com uma ênfase rítmica, característica marcante do grupo.

Ao projeto Pôr do Som (Alamiré) juntam-se os músicos Ilder Santos no contrabaixo, o baterista Gilson Machado, o cantor e também compositor Titá Moura e o acordeonista Helinho Medeiros. Ao longo dos três anos de existência, o grupo participou de diversos projetos, incluindo o Circuito das Praças; participou duas vezes da Mostra de Música do SESC, tendo músicas de autoria de Rudá e Uaná gravadas, integrou, no ano de 2013, o projeto Quintas Aumentadas, excursionou em turnê no Senegal, acompanhando a cantora paraibana Glaucia Lima e participou, em 2014, do projeto Intervalos Instrumentais, dividindo o palco com o trompetista baiano Joatan Nascimento.

Em 2016, iniciou o processo de gravação do seu primeiro álbum “A Pesar Com Tudo”, formado apenas de músicas autorais instrumentais, passeando também no universo da canção.

Já o Grupo Percussons é mais antigo. Surgiu em 2004 em João Pessoa (PB). Idealizado pela professora e percussionista Wênia Xavier, é formado por alunos e ex-alunos de percussão da Escola de Música Anthenor Navarro, do Instituto Federal da Paraíba e dos cursos de Música da Universidade Federal da Paraíba. Inicialmente o grupo foi criado como um laboratório, proporcionando aos alunos um espaço de aplicação dos conhecimentos musicais aprendidos em sala de aula, bem como desenvolver a prática de conjunto num grupo de música de câmara, além de conhecer e divulgar um repertório específico para o instrumento. Com o passar do tempo sentiu-se a necessidade de ultrapassar os limites das escolas e mostrar o trabalho para outras plateias.

O grupo já se apresentou em diversos eventos de percussão, entre eles o 28º Curso Internacional de Verão da Escola de Música de Brasília (CIVEBRA) tendo como solista o baterista Kiko Freitas; Jornada Interestadual de Percussão (2006), IV Encontro Nordestino de Percussão (2007); I, II, III e IV Dia Percussivo (2007, 2009, 2010 e 2011) tendo como solista o baterista Gledson Meira; Feiras da Música (2011 a 2016). Em 2011 participou do Projeto Circuito Cultural das Praças tendo como solista o baterista Dennis Bulhões.

Em 2013, o grupo foi contemplado em edital pelo Fundo Municipal de Cultural (FMC) para a gravação do seu primeiro CD “Música Percussiva Contemporânea da Paraíba”, um trabalho inédito no Estado da Paraíba e o primeiro CD de música contemporânea do Nordeste. O repertório do projeto contou com a participação dos compositores paraibanos integrantes do Laboratório de Composição da Universidade Federal da Paraíba (Compomus) Arimatéia de Melo, Marcílio Onofre e Jorge Ribbas. O projeto contou também com a participação dos músicos Germanna Cunha (UFRN) e da pianista Harue Tanaka (UFPB).

Em 2015, o grupo foi selecionado para participar da coletânea Music From Parahyba 2 da Fundação Espaço Cultural (FUNESC) com a música Tangentes de Arimateia de Melo. Na apresentação do dia 21 de maio o grupo executará obras para grupo de percussão dos compositores Dave Mancini, Ney Rosauro, Mitchell Peters utilizando diversos instrumentos de percussão sinfônicos, populares e instrumentos não convencionais.

DPB com Funesc

COMPARTILHAR

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO


seis + = 12