torcida do fluAntes do apito inicial, o clima de rivalidade dava o tom ao duelo entre Fluminense e LDU. Com a bola rolando, o time equatoriano passou longe daquele que, por duas vezes, calou a torcida adversária no Maracanã (em 2008 e 2009). Nesta quinta-feira, o Tricolor dominou as ações contra um adversário quase inofensivo, pressionou até o fim, mas ficou no gosto de “quero mais”: 1 a 0 – com Gustavo Scarpa, de falta – e vantagem mínima para o jogo decisivo, em Quito, no Equador. 

Acostumado a marcar na temporada – já são 27 gols -, Henrique Dourado não saiu feliz do Maracanã. O camisa 9 tentou de cabeça, de pé esquerdo, mas não venceu o goleiro Nazareno. Para piorar, levou cartão amarelo após disputa de bola no primeiro tempo: foi o terceiro do atacante na competição, o que tira o Ceifador do jogo de volta, em Quito.

Público pagante: 42.270 pagantes

Público presente: 45.977 presentes

Renda: R$ 1.109.560

O Fluminense mostrou como seria a postura no jogo em seis minutos. Ficou com a posse de bola, colocou a LDU na roda e abriu o placar. E foi Gustavo Scarpa, com categoria, que balançou a rede em cobrança de falta sofrida por Wendel: 1 a 0, vibração de Abel e delírio da torcida no Maracanã.

Velho conhecido do torcedor brasileiro, Hernán Barcos passou despercebido pelo Maracanã. Voltando de lesão, o argentino foi titular e entrou para ser referência da LDU, mas pouco viu a cor da bola. Na melhor chance, no segundo tempo, matou no peito após falha de Nogueira, mas ficou no chão antes de finalizar, pedindo falta, ignorada pelo árbitro.

Com a vitória, o Flu vai para Quito buscar a classificação num empate. Caso balance a rede da LDU, obriga o time equatoriano a vencer por dois gols de diferença. Um novo 1 a 0 leva a decisão para os pênaltis.

GE

COMPARTILHAR

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO


4 − = um