Sangue JuninoA 7ª Edição da Campanha Sangue Junino 2017, realizada no último sábado, no Parque da Lagoa, em João Pessoa, foi a que mobilizou mais voluntários, cerca de 100 pessoas, foi a que mais conseguiu doadores de sangue, no total 39 pessoas, foi a que teve mais atividades e mais repercussão na Imprensa. Tudo isso, graças ao poder de mobilização e voluntariado da ONG Doe Sangue PB, que em parceria com outros grupos e instituições, não pouparam esforços para que a ação cumprisse o seu objetivo que era conscientizar as pessoas para a importância de um gesto que salva vidas e ajudar a melhorar os estoques do Hemocentro que, atualmente, estão em situação crítica. O clima também colaborou com a iniciativa, já que a maior parte do dia foi ensolarado, com chuvas finas e rápidas e temperatura amena.

O coordenador do Doe Sangue PB, Thiago Gonçalo, em mensagem nas redes sociais agradeceu o empenho de todos que contribuíram com o sucesso da ação. “A 7ª edição da campanha foi abençoada por Deus. Estou grato a todos que participaram, dando sua contribuição, para que alcançássemos nosso objetivo, tanto que realizamos a maior e mais bela campanha Sangue Junino”, disse Thiago. Ele, no entanto, lamentou o fato do micro-ônibus do Hemocentro ter apenas duas cadeiras para doação. “Poderíamos ter muitos mais doadores, mas, como a unidade móvel só tinha duas cadeiras, muitos doadores desistiram de esperar”, lembrou Thiago.

A assistente social do Hemocentro, Conceição Abrantes, elogiou a iniciativa da ONG Doe Sangue PB e lembrou da importância da conscientização das pessoas sobre a doação de sangue. “Para que nosso estoque se mantenha a contento, precisamos ter, em média, 220 bolsas por dia, mas, atualmente, nós estamos conseguindo menos que a metade deste quantitativo. Por isso, campanhas e ações que busquem ajudar a melhorar nossos estoques são muito bem-vindas”, disse ela. Conceição lembrou ainda que doar sangue não prejudica em nada o doador. “Não engorda, não emagrece, não engrossa sangue, não prejudica em nada a saúde de quem doa e cada doação ajuda a salvar quatro vidas. É um gesto de amor ao próximo que não nos custa nada, apenas, cerca de 30 minutos de nosso tempo”, enfatizou ela.

E foi justamente com o propósito de desmistificar o ato de doar sangue que os voluntários da ação Sangue Junino abordaram quem passava na Lagoa, os comerciantes e funcionários de lojas próximas onde estava a unidade móvel do Hemocentro, distribuindo panfletos educativos e chamando para doação. A dona de casa, Maria das Neves Ssntiago, 44 anos, nunca tinha doado sangue, mas, atendeu ao apelo da campanha e fez sua primeira doação. “Sempre tive vontade de ajudar, mas, não tinha oportunidade de ir ao Hemocentro. Quando soube da campanha, logo me dispus a ajudar. Não senti dor, tontura, nada, me senti bem sabendo que posso ajudar outras pessoas com um gesto tão simples”, disse ela, que prometeu tornar-se uma doadora regular, de quatro em quatro meses, que é o intervalo ideal para as mulheres doarem. Para os homens é a cada 90 dias.

No espaço onde estava a tenda de lanches, distribuídos antes e depois das doações, os voluntários se revezavam com atividades de dança, de apresentações culturais, enquanto a equipe do Hemocentro fazia a triagem dos doadores e encaminhava-os para os testes de anemia e a entrevista com a médica Jamile Escarião.

Em paralelo, um grupo de profissionais voluntários da área de saúde fazia a aferição de pressão e testes de glicemia em quem se interessava.

No sábado, por motivos diversos, 47pessoas não puderam doar. Outras desistiram de esperar. “Se não fosse isso, os dados de coleta seriam bem maiores”, reiterou Thiago, lembrando a importância do Hemocentro adquirir uma unidade móvel maior com capacidade para atender mais doações. “O Hemocentro de Recife tem uma unidade móvel com 12 lugares. Se tivéssemos um veículo com essa capacidade, o número de bolsas hoje seria bem maior”, afirmou ele, lamentando esse fato, mas reiterando que a ação deste ano foi mais abrangente, sobre todos os aspectos, tais como, número de voluntários, atrações, doações, mobilização, arrecadação de sangue, etc.

Além da ONG Doe Sangue PB, o sucesso da ação Sangue Junino, cujo tema deste ano foi  “São João com doação: acenda a fogueira do seu coração”,  deveu-se a união de outros grupos que somaram suas energias e disponibilizaram  seu tempo e talento em prol do sucesso da iniciativa, a exemplo do Amigo Doador (Centro Espírita Vianna de Carvalho e Instituição Espírita O Consolador), Cia de Dança Adonai (Paróquia São Francisco de Assis), Grupo de Teatro Pirilampos (Federação Espírita Paraibana), Cia Sinal de Alerta (Primeira Igreja Batista Nova Esperança), além do Hemocentro da Paraíba, que estava com uma equipe multiprofissional de assistente social, médica, enfermeira, psicóloga, motorista e merendeira.

Para tornar-se um voluntário do Doe Sangue PB é só entrar em contato pelos números (83) 99628-3529 (whatsapp), 98835-3529 ou ainda pelo e-mail doesanguepb@gmail.com.  Outras informações no site www.doesanguepb.com.br.

DIÁRIOPB com Assessoria

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO