TODAS AS CATEGORIAS

Brasil vence a Sérvia após início arrasador e apagão

Nenê e MarquinhosO começo de jogo indicava um atropelamento do Brasil sobre a Sérvia nesta quarta-feira, no Palacio de Deportes de Granada. Consistente e com o controle total da partida, o time de Rubén Magnano realizou seu melhor primeiro tempo nesta Copa do Mundo da Espanha. A defesa voltou a ser muita intensa, os arremessos de quadra caíam de tudo quanto era jeito, e os lances livres, também. A vantagem, que chegou a ser de 18 pontos, foi para o vestiário em 16. Porém, o vento que soprava a favor dos sul-americanos mudou de direção no terceiro quarto e com uma parcial de 32 a 12, os rivais viraram. Quando a derrota era iminente, a equipe verde e amarela tirou forças de onde não aparentava mais ter e, com grande recuperação psicológica e atuação decisiva de Marquinhos no quarto final, venceu por 81 a 73 (48 a 32). A terceira vitória na competição garante a classificação às oitavas de final, que serão disputadas em Madrid.

– Sabíamos que seria um jogo muito difícil, mas tivemos a felicidade de meter muita bola no primeiro tempo. Viemos para o segundo tempo com a mesma proposta defensiva, mas eles também tiveram um excelente aproveitamento nas bolas de três. Apostamos na nossa defesa no último quarto e conseguimos nos recuperar e vencer – disse Marquinhos, cestinha da partida com 21 pontos,18 deles em cestas de três, ao SporTV.

Além de Marquinhos, que acertou seis bolas de três em nove tentativas, Leandrinho contribuiu com 16 pontos. Varejão sobressaiu com nove rebotes, dois a mais que Tiago Splitter, autor ainda de 10 pontos e seis assistências. Pelo lado sérvio, Teodosic deu muito trabalho, anotando 14 pontos e cinco assistências.

Com três vitórias e uma derrota, o Brasil precisa ganhar do lanterna Egito nesta quinta-feira para confirmar a segunda colocação do Grupo A, posição que leva o time para o confronto contra o terceiro colocado do Grupo B nas oitavas. A disputa está embolada, e o adversário deve sair entre Argentina, Grécia, Senegal e Croácia.

Início arrasador

A defesa voltou a funcionar, os arremessos de quadra passaram a cair – chegando a 88% na primeira metade – e os lances livres, perfeitos (3/3), todos de Nenê. A combinação desses fatores fez o Brasil ter o melhor início de jogo do Mundial e abrir 16 a 6 contra uma Sérvia com um péssimo chute de média e longa distância. O técnico Sasha Djordjevic teve que parar o jogo e pôr em quadra seu armador Milos Teodosic, estrela da equipe. Splitter, com duas faltas, foi para o banco. Nenê entrou e trancou o garrafão com três tocos e mais cinco pontos. Leandrinho e Marquinhos, este em duas bolas de três, estavam com as mãos calibradas. A vantagem só caiu por conta de duas bolas de três dos sérvios, em dois contra-ataques (23 a 16).

Mantendo a pegada, o Brasil sempre teve o controle do jogo no segundo quarto. Aos poucos, a diferença no placar foi subindo, só não sendo maior porque o aproveitamento nos tiros de quadra caiu 64% para 58%. Com seus três pivôs com duas faltas, Magnano abriu o time nos minutos finais, só atuando com Hettsheimeir debaixo da tabela e quatro abertos. Guilherme Giovannoni, que participou de quase todo o período, foi o destaque acertando seus três arremessos e anotando sete pontos. As cinco bolas de três convertidas na parcial, sendo a última de Leandrinho no segundo final, deram aos brasileiros uma vantagem de 16 pontos no intervalo em sua atuação mais consistente na competição até aquele momento (48 a 32).

Vantagem desmorona, e Sérvia vira

A defesa sumiu, os erros apareceram, e os lances livres não entravam mais. Totalmente diferente do primeiro tempo, o Brasil voltou muito mal para o terceiro quarto. A marcação implacável apresentada até então sucumbiu ao ataque adversário, que marcou em 10 minutos o mesmo número de pontos que havia anotado em toda a etapa inicial (32). Os desperdícios de bola passaram de três para oito. A confiança brasileira ia diminuindo com o passar do tempo, e o aro ficava menor. Já os sérvios entraram no jogo, e tudo passou a dar certo. Restando pouco mais de três minutos para o fim, a diferença de 16 pontos do intervalo, que chegou a ser de 18 pontos, desmoronou. A parcial de 32 a 12 mostrou bem o que foi o período (64 a 60 para a Sérvia) .

Marquinhos desequilibra no fim

O início do último quarto era o duelo da confiança contra a frustração. O Brasil continuava a sentir o baque da virada. Por quase três minutos, a bola não caiu. A Sérvia abriu sete de frente, e Magnano parou o jogo. Na volta, Marquinhos, com duas de três e uma de dois, colocou os brasileiros de novo na frente por um (68 a 67). O moral do time levantou, e as bolas voltaram a cair. A Sérvia sentiu e passou a errar. O controle do primeiro tempo voltou às mãos dos brasileiros, que abriram oito pontos de vantagem. Cansados, os europeus não tiveram mais força para reagir e viram a festa e classificação brasileira depois de um jogo quase entregue.

Escalações

Brasil: Leandrinho (16), Tiago Splitter (10), Marquinhos (21), Varejão (4), Huertas (6); Entraram: Nenê (7), Alex (6), Hettsheimeir (0), Giovannoni (7), Larry (2), Raulzinho (2)

Sérvia: Raduljica (11), Markovic (10), Bogdanovic (8), Bjelica (8), Stimac (2); Entraram: Teodosic (14), Bircevic (8), Simonovic (3), Jovic (2), N. Krstic (7).

GE

Mostrar mais

DiárioPB

Portal de notícias da Paraíba, Brasil e o mundo

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar
PUBLICIDADE