Corte No Bolsa FamíliaO líder do PT na Câmara, Carlos Zarattini (SP), criticou nesta sexta-feira (11) o governo Michel Temer pelo corte de 543 mil benefícios do Bolsa Família.

“Trata-se de um retrocesso monumental e cruel: três anos depois de o Brasil sair do mapa mundial da fome da ONU — o que significa ter menos de 5% da população sem se alimentar o suficiente —, a ameaça da fome volta a assombrar o povo brasileiro”, disse ele.

Para o parlamentar, retirar mais de meio milhão de famílias do BF é uma estratégia de Temer de atacar todas as conquistas sociais e econômicas do povo brasileiro ao longo de décadas.

Outro meio milhão de famílias esperam pelo benefício, sem qualquer previsão de serem contempladas. Isso mostra o agravamento da crise econômica e social, levando as pessoas a procurar ajuda dos programas sociais. “O desemprego alcançou o índice mais alto da história, com mais de 14 milhões de desempregados . Isso gera maior procura pelo Bolsa Família.”

Criado pelo ex-presidente Lula em 2003, o Programa Bolsa Família retirou 42 milhões de brasileiros da extrema pobreza. Quando a presidenta Dilma Rousseff foi afastada pelo golpe parlamentar, 13,9 milhões de famílias recebiam benefícios do Programa. Esse número caiu para 12,7 milhões em julho de 2017, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento Social.

Zarattini observou que o ataque ao Bolsa Família acontece simultaneamente  a ações contra outros programas sociais que colocaram o Brasil como exemplo mundial de combate à fome e à miséria. Um dele é o Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar (PAA), cujos recursos foram drasticamente reduzidos. O PAA é para a compra da produção do pequeno agricultor, para distribuição a hospitais, escolas públicas e presídios.

Brasil 247

COMPARTILHAR

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO


nove × = 18