fake news sobre CazuzaO ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, pediu desculpas à mãe do cantor e compositor Cazuza, morto em 1990 em função do HIV, por ter atribuído, em uma entrevista à revista Veja, uma frase que não foi dita pelo artista. Na entrevista, Vélez disse que Cazuza “pregava que liberdade é passar a mão no guarda”, quando na realidade esta frase foi uma piada de um programa humorístico.

Segundo o jornalista Ancelmo Gois, de O Globo, após a publicação da reportagem, a mãe de Cazuza, Lucinha Araújo, enviou uma carta aberta ao ministro dizendo ser “inadmissível uma pessoa, ocupando o cargo que ocupa, não ter a preocupação de, sem compromisso com a verdade, citar uma pessoa pública”.

Ela também disse “que gostaria de deixar aberta a possibilidade de o ministro se retratar publicamente, ‘para que não seja necessário ter de tomar providencias jurídicas’. Veléz, que pediu desculpas por meio de um telefonema, também ficou de se retratar por escrito.

247

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO