Ricardo Vieira CoutinhoA Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) que pede a cassação da chapa Ricardo-Lígia por abuso de poder econômico e político nas Eleições 2014 deve ser julgada nesta segunda-feira (17) pelo Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB).

Este será o 4° julgamento de Ricardo pela campanha de 2014, da qual saiu com pelo menos oito Aijes e Ação de Impugnação de Mandato Eletivo (Aime). As ações foram propostas pela coligação A Vontade do Povo, que tinha Cássio Cunha Lima como candidato, e pelo Ministério Público Eleitoral (MPE).

“Ricardo ganhou nos três primeiros julgamentos. As ações questionavam promoções da Polícia que teriam objetivos eleitoreiros; distribuição de 70 ambulâncias no ano eleitoral e isenção de tributos (IPVA e taxas) com idêntico objetivo. Até o parecer do MPE foi a seu favor, o que não ocorre na Aije que será julgada amanhã, a da PBPrev”.

O MPE defende a cassação de Ricardo. As ações contra o governador alegam que o uso eleitoreiro da Previdência teria ocorrido pelo pagamento de benefícios que antes negava ou condicionava a uma normatização. “Nos meses da campanha teriam sido pagos cerca de 1000% a mais em benefícios do que durante todo o ano anterior, atingindo cerca de R$ 10 milhões”, explica Lena Guimarães.

A defesa de Ricardo Coutinho diz que a maioria dos pagamentos ocorreu depois das eleições, posicionamento que é reiterado pela vice-governadora Lígia Feliciano.

Mesmo se perder o julgamento desta segunda-feira, Ricardo Coutinho continuará no governo, uma vez que cabe recurso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Se ganhar, os adversários terão direito ao mesmo recurso.

Portal Correio

COMPARTILHAR

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO


um + 4 =