lula-ex-presidenteÉ fato que a cada tempo surge uma praga seja epidêmica, como a lagarta na lavoura, ou endêmica (como a violência e a corrupção no Brasil). Mas as pragas não se limitam à práticas sociais nem à lavoura apenas. Pois bem, sabemos que o ser humano não é muita coisa, de regra só faz coisa não edificante, mas normalmente suas ações medíocres ficam no reino do tolerável. Um que outro que se destaca como pessoa que justifica a existência da humanidade, ou seja, tem prática de vida elevada, que ajuda os outros a melhorarem, e transformar o mundo mais vivível, tais como Sócrates, Betinho, Irmã Dulce, ou Chico Mendes. Mas também, vez por outra, surgem outras criaturas, que não ousaria eu dizer que são de Deus, que só fazem miséria. E o que mais choca, ao primeiro momento, é que essas criaturas se encontram em todas as classes e extratos da sociedade, desde o mendigo, ao presidente da República, como agora mesmo temos lá um usurpador, que se auto-intitulou presidente, cujas ações são nefastas à sociedade e ao ser humano em geral, pois seu objetivo e de todo seu séquito maldito é destruí o país e arruinar a vida das pessoas que lutam para sobreviver. Mas isso passa por todos os profissionais e atores sociais, do lavrador ao médico, do estivador ao advogado, do recolhedor de material reciclável ao industrial.

E claro o juízes não ficam de fora. A grande juíza e ex-presidenta do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) Eliana Calmon, já disse que era preciso abri a caixa preta do judiciário, e todos nós sabemos que nos armários do judiciário há esqueletos a dar com o pau. Ela, mulher de fibra, apesar de ser de uma família tradicionalmente de corrupção e de trambique, o escritor Lima Barreto e o Estado da Bahia que o digam, falou verdade que nenhum outro ousou falar antes nem depois. E supõe-se que ela seja honesta, porquanto ela também é do judiciário, e qualquer devassa feita na classe (o que no Brasil corrupto e impune nunca acontecerá) ela também seria afetada diretamente. Mas o mal-estar que se formou na classe, com sua assertiva, equivale a uma confissão coletiva.

Pois bem, aqui, neste país meio fossa meio monturo, politicamente, vez por outra surge um soldadinho de chumbo que se pensa czar, e a lei passa a ser sua própria vontade. É neste regime que surge advogadas tipo Janaina Paschoal, e juízes tipo o senhor Sérgio Moro. Esse militante do PSDB e da extrema direta, partidário da bancada BBB do Congresso Federal (deputados que defendem Bíblia, Bala e Boi), imiscuiu-se na justiça federal, sabe Deus como, com um único objetivo de destroçar o PT e a esquerda nacional para fazer subir ao poder o PSDB, ou qualquer outro representante da extrema direita que sempre sugou o sangue do povo, e destruíu-lhe a vida de todas as formas.

Para isso um grupo de extremistas capitaneado por este juiz, montou plano para tirar o PT do poder. Derrubaram a presidenta Dilma, com provas de crimesforjados, usurparam o poder para seu vice-traidor, que tramou à sombra, destituí-la e num golpe assumir o poder. Mas o mais baixo e nauseabundo estava por vir: através de uma teia de tramas, intrigas e torturas, construir uma peça acusatória que incriminasse o Ex-presidente Lula e achincalhasse o PT. Sim, digo tortura porque é o método usado para se obter delações premiadas de delatores que aceitem comprometer o PT e o Ex-presidente. Joga-se o cara na prisão e diz-lhe que só será solto se ele falar contra o PT e/ou Lula. E assim se obtém avalanche de delatores que, a torto e a direito, incriminam esses dois alvos. Pois, ontem saiu a forjada sentença, em que este militante político do PSDB condenou o Ex-presidente a mais de nove anos de prisão, e a dezenove proibido de exercer cargo público. Tudo isso porque o juiz tem medo de o Ex-presidente se candidatar em 2018 e o PSDB, seu partido, levar uma lavada nas urnas, porque a maioria dos brasileiros ainda tem um resto de consciência e de memória para saber acolher velhinho rouco e afugentar a tucanada corrupta e odiosa para longe do Planalto.

Sob a acusação de que Lula recebeu como propina um apartamento e um sítio no interior de São Paulo, condena-o sem prova, só por convicção. O pouco que eu sei de direito diz que para se condenar é preciso haver provas cabais. Então se pergunta. Cadê a escritura dos tais imóveis? O juiz não tem. E como pode ele afirmar que esses imóveis foram recebidos como propina? Precisa ser comprovado, simples assim! Então para poder condená-lo, o juiz e seus rapa-coco recorreu a uma barafunda de muletas espúrias, tais como a própria convicção, as delações forçadas, e o domínio do fato, e se brincar ele recorrerá até ao Direito Canônico. Mas uma coisa ele quer e faz: condenar Lula e o PT.

Todos sabemos que esse processo é fabricado e viciado. Ora fabricado porque parte do simples desejo do juiz e de seu grupo, e viciado pelo fato de o juiz ter cometido inúmeros erros, voluntários na usura de destruir a imagem do PT e do Ex-presidente. Em qualquer país minimamente sério, este processo já teria sido anulado. Ou então o STF dava uma boa reprimenda no juiz (que é de primeira instância), mandava-lhe sossegar o facho e tocar o processo com o mínimo de hombridade e honradez.

Ele conduziu coercitivamente o Ex-presidente que sequer que tinha convidado ou intimado a depor, uma falha; publicou o áudio do ex-presidente Lula e muitas partes dele em conversa com a presidenta à época de foro privilegiado, outra falha grave; continuou grampeando o Ex-presidente mesmo depois de ter ele mesmo suspendido (desautorizado) os grampos e ainda publicou essa conversa, neste caso ele mesmo se anula! E esse Mec continua como juiz? O que que é a justiça no Brasil, então? Percebe-se que é aquela mesma de que falava Gregório de Matos nos idos de 1600.

E que justiça a resguarda?… Bastarda.

É grátis distribuída?… Vendida.

Que tem, que a todos assusta?… Injusta.

Valha-nos Deus, o que custa

O que El-Rey nos dá de graça

Que anda a justiça na praça

Bastarda, vendida, injusta.

Existe um áudio no site do youtube que a Rede Globo nunca levou para seus telejornais (chamado: o grampo que a Globo golpista não mostra. Quem quiser pode ouvir). Esse áudio trata-se de uma escuta feita, quando haviam grampeado o telefone do Ex-presidente conversando com um seu amigo advogado (Alberto Carlos Almeida), que lhe explica que Lula iria ser condenado se ele e a então presidenta não tomasse alguma atitude, pois o juiz queria lhe condenar e iria fazê-lo de qualquer forma, mesmo fabricando provas, a mesma coisa que se faz com os pobres, pois, disse ele, no Brasil a justiça funciona assim, condena-se ou absolve-se não que é culpado ou inocente, mas que ela quer. E isso aconteceu ontem.

A pergunta que não quer calar é: por que o senhor juiz Moro não vai investigar as malas de dinheiro que andam para cima e para baixo, para serem entregues ao usurpador Michel Temer a seu ex-ministro Geddel Vieira e ao Aécio Neves, dentre outros, e por que ele não força o Rodrigo Rocha Loures fazer delação do que sabe sobre Temer e sua corja? Mas isso não lhe interessa, porque ele não está preocupado como a corrupção nem com a ladroagem que continua à solta no Planalto e no Congresso, mas sua preocupação é destruir a Esquerda, o PT e Lula. E assim destruir o povo. Bela justiça ele faz.

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO