PARAÍBA

Praias da Paraíba seguem limpas, sem novos registros de óleo

As praias da Paraíba estão sem novos registros de manchas de óleo, desde as gotículas identificadas nesse domingo (27) em trechos do litoral sul do estado. A constatação parte do monitoriamento mais recente feito pelo Corpo de Bombeiros Militar da Paraíba (CBMPB), divulgado nesta terça-feira (29).

Dezoito militares foram empregados e cinco viaturas, entre operacionais, administrativas e aquáticas (bote inflável e moto aquática). Além das ações na água – inspeção superficial, navegação das embarcações e atuação dos mergulhadores – também foi realizada captura de imagens aéreas com drones.

Foram monitoradas utilizando embarcações as seguintes regiões: Praia do Amor, Gramame Sul, Praia de Pitimbu, Praia de Acaú e Praia Azul. Além de mergulho no Coral do Lagostinho, localizado na Praia do Amor, numa profundidade máxima de quatro metros, e na praia de Pitimbu.

Em parceria com outros órgãos, ações com drones foram realizadas por uma equipe da Polícia Civil nas praias do litoral sul, no trecho do Seixas até Gramame.

Nos relatórios elaborados com as imagens e informações coletadas das equipes empenhadas, ficou constatado que não há vestígios do material nas praias que foram monitoradas e que são as mais próximas da divisa com o estado de Pernambuco, cujo litoral foi afetado pelas manchas de óleo.

Praias monitoradas com tecnologia australiana

Os arrecifes mais vulneráveis do Litoral paraibano deverão ser monitorados com tecnologia australiana.  A informação foi repassada ao governador João Azevêdo pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

Em ofício enviado ao gestor paraibano, o ministro explicou que, após reunião  com o embaixador do governo da Austrália, Timothy Kane, o governo daquele país se prontificou a prestar o auxílio técnico-científico no trabalho de prevenção e remoção do óleo que tem atingido os arrecifes dos Estados do Nordeste.

Nesta segunda-feira (28), o Governo da Paraíba deverá enviar ao Ministério do Meio Ambiente todas as informações sobre as áreas mais vulneráveis do Litoral para que sejam avaliadas as melhores técnicas para impedir que o óleo atinja os arrecifes, evitando maiores impactos ambientais.

Em audiência no Ministério do Meio Ambiente na última quarta-feira (23), o governador João Azevêdo externou sua preocupação com os possíveis impactos ambientais e econômicos que a poluição ambiental registrada no Litoral nordestino poderá causar e solicitou medidas urgentes do governo federal para identificar a origem do óleo. Na ocasião, ele também protocolou um ofício junto ao órgão para detalhar todas as ações já adotadas pela gestão estadual, em parceria com várias instituições federais, estaduais e municipais, para enfrentar o problema.

A ampliação do grupo de trabalho, que ficará encarregado de encaminhar e definir ações técnicas e operacionais, a intensificação do monitoramento das áreas mais vulneráveis do Litoral paraibano, bem como o monitoramento aéreo, o estudo das correntes marinhas com o auxílio da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e a realização de campanhas de esclarecimento voltadas à sociedade civil foram algumas das ações encaminhadas pelo Governo do Estado e órgãos ligados ao meio ambiente durante reunião promovida na última terça-feira (22), no Palácio da Redenção, em João Pessoa.

Site divulga informações sobre óleo

O Governo Federal lançou o site ‘Mancha no Litoral‘ para que a população acompanhe as ações que estão sendo promovidas para combater as manchas de óleo encontradas nas praias do Litoral do Nordeste desde o fim de agosto. Até agora, os nove estados da região foram afetados, em menor ou maior escala, pelo óleo. Clique aqui e leia mais.

Praias atingidas da PB (desde o início)

De acordo com o Ibama, logo quando foram detectadas na Paraíba, entre o fim de agosto e setembro deste ano, as manchas de óleo atingiram os seguintes trechos no estado:

Mataraca

  • Barra do Rio Camaratuba

Rio Tinto

  • Oiteiro
  • Lagoa de Praia
  • Praia de Campina
  • Barra do Rio Mamanguape

Cabedelo

  • Praia Formosa
  • Praia de Camboinha
  • Praia do Poço
  • Praia de Intermares

João Pessoa

  • Praia do Cabo Branco
  • Praia de Tambaú

Conde

  • Praia do Amor
  • Tambaba
  • Gramame
  • Jacumã

Pitimbu

  • Praia Bela

De acordo com a Sudema, todos os trechos onde foram encontradas manchas de óleo na Paraíba foram limpos e não há registro de novas ocorrências.

Orientações ao ver óleo em praias

Em nota, a Marinha do Brasil solicita a todos que avistarem novas manchas que entrem em contato com as autoridades competentes, podendo também realizar contato telefônico por meio do número 185, a fim de auxiliarem na execução de ações de pronta resposta, evitando maiores danos à natureza e à população local.

As autoridades recomendam que as pessoas evitem tocar as manchas de óleo sem luvas de borracha. Caso o produto entre em contato direto com a pele, é recomendável limpar imediatamente a área atingida, utilizando gelo e óleo de cozinha. Em caso de reação alérgica, a pessoa deve procurar atendimento médico.

Outros telefones também podem ser contactados caso sejam encontradas manchas de óleo em praias, como o 199 da Defesa Civil, 190 da Polícia Militar, em todo o estado e, em João Pessoa, o 0800 281 9208 da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semam).

Com Correio

Mostrar mais

DiárioPB

Portal de notícias da Paraíba, Brasil e o mundo

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar
PUBLICIDADE