PrevNordesteOs governadores dos Estados nordestinos decidiram criar uma Previdência complementar regional unificada para os servidores públicos estaduais da região, o PrevNordeste.
A decisão foi tomada durante o Encontro de Governadores do Nordeste que aconteceu nesta quinta-feira (11) em Salvador. Participaram os gestores de todos os Estados da região.
A criação de fundo de Previdência complementar para os servidores públicos passará a ser obrigatória, caso seja aprovada a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que institui Reforma da Previdência.
A Bahia é o único Estado do Nordeste que já adotou o modelo de Previdência complementar para os servidores. Por isso, o PrevBahia (Fundo de Previdência Complementar da Bahia), servirá de base para o novo fundo.
A gestão será dividida, mas deve aproveitar a estrutura física e burocrática do fundo do governo baiano.
O objetivo da unificação é ampliar a base de servidores para buscar taxas administrativas mais atrativas e maior rentabilidade para os servidores.
“Queremos unificar para ter uma Previdência mais forte, mais sólida e que tenha capacidade de remunerar melhor o dinheiro dos contribuintes. Quanto maior o bolo, maior é a força para a gente conseguir uma rentabilidade maior”, afirmou o governador da Bahia, Rui Costa (PT).
Outro objetivo da criação do PrevNordeste, segundo Costa, é fazer com que os recursos do fundo sejam aplicados dentro do próprio Nordeste, fomentando a economia da região.
Um dos entusiastas da proposta, o governador de Alagoas, Renan Filho (PMDB), afirmou que não faria sentido cada Estado criar um fundo exclusivo.
“Se cada governador criar seu próprio fundo, isso criaria uma redundância de custos. Precisamos buscar saídas com o menor custo possível. Criar uma Previdência mais robusta, mais longeva”, afirmou.
Os governadores também consideram que a gestão compartilhada dará celeridade à adoção da medida por todos os Estados da região.
Na reunião, foi definida a criação de um grupo de trabalho que envolverá procuradores e os secretários de Administração dos Estados.
Esta não é a primeira iniciativa de criação de um fundo englobando mais de um Estado. Desde março, a SP-Prevcom (Fundação de Previdência Complementar de São Paulo) foi autorizada a oferecer planos de aposentadoria para servidores de outros Estados. Já há negociações em cursos para adesão dos servidores de Rondônia ao fundo.
Além da Bahia e São Paulo, apenas outros cinco Estados já possuem plano de Previdência complementar: Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.
Folha Online

 

COMPARTILHAR

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO


seis − = 4