247 – A juíza Carolina Lebbos autorizou nesta terça-feira (10) que o ex-presidente Lula seja ouvido pelo Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH) para analisar a possibilidade de violação no seu direito à defesa.

O órgão havia aberto um processo de sindicância em julho para investigar se Lula teve seu direito de defesa cerceado. A audiência em que Lula será ouvido está marcada para a próxima terça-feira (17) em Curitiba, onde Lula está preso.

O procedimento foi aberto após a divulgação dos vazamentos de conversas entre autoridades da Lava Jato pelo site The Intercept, que escancararam a trama política para que Lula fosse condenado sem provas e preso para que não disputasse as eleições de 2018.

“Será uma oportunidade para aprofundar o debate técnico sobre as denúncias de grosseiras violações de direitos humanos  que ele vem sofrendo no âmbito da operação Lava Jato”, manifestou-se a defesa, em nota assinada pela advogada Valeska Teixeira Zanin Martins.

Leia a íntegra da nota da defesa de Lula:

“A defesa do ex-presidente Lula entende que será uma oportunidade para aprofundar o debate técnico sobre as denúncias de grosseiras violações de direitos humanos  que ele vem sofrendo no âmbito da operação Lava Jato. As referidas violações foram comunicadas ao Comitê de Direitos Humanos das Nações Unidas já em 2016 em um processo com amplo conjunto probatório. Hoje, o processo injusto ao qual Lula foi submetido é cabalmente comprovado pelo importante trabalho jornalístico do The Intercept e outros veículos, no que se denominou vazajato. A injustiça contra o ex-presidente Lula é um dos maiores ataques à nossa democracia.”  

Valeska T. Zanin Martins.

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here