Porsches e LamborghiniCerca de R$ 60 milhões em bens de sete réus na operação Xeque-Mateforam bloqueados, na terça-feira (6), por meio de uma decisão da 3ª Vara Mista de Cabedelo. Eles são acusados terem envolvimento com a suposta compra do mandato do prefeito eleito de Cabedelo, em 2013, José Maria Lucena Filho, conhecido por Luceninha.

Entre os bens bloqueados estão automóveis de luxo, como dois Porsches e uma Lamborghini. A decisão foi tomada pela juíza Giovanna Lisboa Araujo de Souza, que atendeu a uma ação civil pública protocolada pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB). No processo, a promotoria pede a condenação dos réus pelo crime de improbidade administrativa.

Além da condenação por improbidade administrativa, a ação civil pública requer a perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente, a perda da função pública, a suspensão dos direitos políticos por oito anos, o pagamento de multa civil, a proibição de receber benefícios ou incentivos fiscais, direta ou indiretamente.

Veja os valores dos bens que serão bloqueados:

  • Leto Viana terá bens bloqueados no valor de até o limite de R$ 10,4 milhões;
  • José Maria Lucena Filho terá bens bloqueados no valor até o limite de R$ 7,5 milhões;
  • Roberto Santiago terá bens bloqueados no valor até o limite de R$ 10,8 milhões;
  • Olívio Oliveira terá bens bloqueados no valor até o limite de R$ 8,6 milhões;
  • Lucas Santino terá bens bloqueados no valor até o limite de R$ 7,5 milhões;
  • Fabiano Gomes terá bens bloqueados no valor até o limite de R$ 10,8 milhões;
  • Fabrício Marques terá bens bloqueados no valor até o limite de R$ 4,4 milhões.

Confira os veículos indisponibilizados

De propriedade de Roberto Santiago:

  1. Porsche 911 Turbo;
  2. Lamborghini G Spyder;
  3. Porshe Cayenne S;
  4. Hyundai Azera 3.0 V6;
  5. Carveitec CA 500;
  6. Ford Taurus LX;

De propriedade de Fabrício Marques:

 Honda/HR-V EX CVT;

  1. Fiat/Uno Mile Economy;
  2. De propriedade de Fabiano Gomes:

    1. Honda Accord EX V6;
    2. Volvo XC60 2.0T5R-DES;

     

    De propriedade de José Maria Lucena Filho (Luceninha):

    1. VW/Novo Gol 1.0.

     

    Denúncia

     

    A primeira denúncia da ‘Operação Xeque-Mate’ ocorreu em maio e teve como alvo 26 pessoas (entre elas o prefeito afastado Leto Viana, o empresário Roberto Santiago e o radialista Fabiano Gomes), acusadas de constituir, financiar e integrar a organização criminosa (Orcrim).

    A segunda denúncia foi feita em junho contra sete integrantes da Orcrim, pela prática de crimes de corrupção ativa e passiva (entre eles também estavam Leto Viana, Roberto Santiago, Fabiano Gomes, além de Luceninha).

    Em setembro, uma terceira denúncia foi apresentada, contra Leto Viana, seis vereadores e um assessor parlamentar, por crimes relacionados ao financiamento de campanha e às cartas-renúncia de parlamentares utilizadas para a eleição da mesa diretora da Câmara Municipal.

    De acordo com o Gaeco, as investigações revelaram que os ilícitos identificados podem ser agrupados em dez grandes eixos, dentre eles a compra e venda de mandato de prefeito exercido por José Maria de Lucena Filho (Luceninha) e sua renúncia ao cargo; as irregularidades na Prefeitura e na Câmara de Vereadores de Cabedelo; a Operação “Tapa-Buracos”; o financiamento de campanha de vereadores; atos de corrupção envolvendo a avaliação; a doação e permuta de terrenos públicos a diversas empresas; ações ilícitas para impedir a construção do Shopping Pátio Cabedelo; e a evolução patrimonial incompatível com a renda declarada e ocultação patrimonial de Leto Viana e Jacqueline França por meio de pessoas interpostas, por exemplo.

    G1/PB

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO