TOCA DO LEÃO

Juliette e a pedra Turmalina Paraíba

A Igreja Católica criou a confissão auricular anual e obrigatória. Uma vez por ano, o católico deve estar aos pés do padre no confessionário para desembuchar seus momentos deteriorados, suas taras e imperfeições de caráter. Eu faço isso todo domingo às 10 horas na Rádio DiarioPB, no podcast “Dez minutos no confessionário”. Domingo passado, dia das mães, confessei que mãe é mãe e o resto é subproduto. Estimei que todas as mães fossem bem-afortunadas, incluindo a mãe daquele rapaz que mora na casa de vidro, considerado pelos desafetos como o extrato da besta fera de ruindade, mas preza sua genitora. Ele não avaliza a vacina, mas na hora de proteger os seus, mandou logo vacinar quem? Sua madre, é claro!

Confessei também minha ignorância sobre esquemas financeiros sustentáveis e não sustentáveis, facilitações através de manobras judiciais para que as empresas mais ricas do planeta abocanhem os campos do pré-sal, por exemplo, e a destruição de nossa economia pela famosa operação “Lava Jato”, que fez o Brasil perder 172,2 bilhões de reais em investimentos, entre outros prejuízos. Enquanto muitos perdem, pequenos grupos de manipuladores financeiros do mundo ganham, e muito.

Esta declaração no meu podcast no dia das mães veio a propósito do meu intuito de presentear minha mãe com uma joia, que ela é uma senhora muito vaidosa. Por não ser componente desses altos esquemas, jamais poderei mimosear minha genitora com uma joia de preço salgado. Assim mesmo fui pesquisar e encontrei uma loja de pedras preciosas que negocia a famosa Turmalina Paraíba, extraída do solo de uma cidade chamada Salgadinho, perto de Patos. Essa pedra é raríssima. Só tem na Paraíba, em algum lugar no Rio Grande do Norte e em Moçambique, na África. Apenas um quilate da gema da turmalina Paraíba pode chegar a custar 15 mil dólares. Então, a turmalina Paraíba, também chamada turmalina azul, perde apenas para o diamante na classificação de pedra preciosa mais cara do mundo.

Confessei também minha curiosidade em saber como vive o povo de Salgadinho, onde acharam a turmalina. Salgadinho enricou com a pedra tão preciosa? Descobri que Salgadinho foi palco de um esquema internacional para explorar ilegalmente a pedra preciosa e levá-la para fora do Brasil. O lugar estava no centro de uma fraude internacional que envolvia empresários do Brasil e compradores estrangeiros, entre eles um homem do Afeganistão, Zaheer Azizi, suspeito de envolvimento com um dos principais grupos terroristas do mundo, a Al-Qaeda.

As mães de Salgadinho continuam desvalidas e seus filhos sendo explorados da mesma forma. Segundo o IBGE, O município está situado na faixa de Desenvolvimento Humano Baixo. Continua na lista das regiões mais miseráveis do Estado.

Agora, a Paraíba gera outra pedra turmalina que atende pelo nome de Juliette, essa moça que ganhou o tal do BBB, faturou 1,5 milhão de reais e está mais valorizada do que vacina pra Covid-19. É a nossa nova turmalina Paraíba. Juliette tem mais de 28 milhões de seguidores nas redes sociais e isso é um patrimônio incalculável. Todo político quer explorar a nova turmalina Paraíba. Nossa recente pedra inestimável e seu carisma brilham no mundo virtual e no real. Juliette servirá a quem? O destino dessa vigente joia rara será brilhar como nova estrela para bombar os podres poderes dos que comandam o grande esquema de tráfico do poder, igual à pedra turmalina Paraíba? Confesso que não sei.

Mostrar mais

Fábio Mozart

Fábio Mozart transita por várias artes. No jornalismo, fundou em 1970 o “Jornal Alvorada” em Itabaiana, com o slogan: “Aqui vendem-se espaço, não ideias”. Depois de prisões e processos por contestar o status quo vigente no regime de exceção, ainda fundou os jornais “Folha de Sapé”, “O Monitor Maçônico” e “Tribuna do Vale”, este último que circulou em 12 cidades do Vale do Paraíba. Autor teatral, militante do movimento de rádios livres e comunitária, poeta e cronista. Atualmente assina coluna no jornal “A União” e ancora programa semanal na Rádio Tabajara da Paraíba.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar