Serge HuotO artista visual francês Serge Huot abre, nesta quinta-feira (18), às 19h a exposição ‘Frequência’. As obras podem ser vistas na Galeria Archidy Picado do Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa, e o período de visitação se estende até 27 de junho. O acesso é gratuito e a galeria funciona de segunda a domingo.

Nesta exposição, fragmentos de cerâmicas, de esculturas, de placas de concreto e de outros objetos ocupam a área da galeria como se fossem metralha de engenharia civil, disposta de modo plano, sem forma, em partículas.

Na instalação há um holofote representando um sol artificial que banha os escombros de uma cidade despedaçada, ao som (captado e editado) de uma poça d’água que enche e se esvazia, funciona como uma metonímia de conteúdo/continente. Nela, o horror ao vácuo e a glória do movimento anunciam, num futuro não muito próximo, o peso da matéria e a imponderabilidade das ideias.

Se o corpo é uma extensão dramática da natureza e o ser humano um desenvolvimento drástico da paisagem, esta exposição pode ser considerada a construção, através da arte, de mais uma metáfora que tenta recuperar uma ligação perdida entre o homem e o meio ambiente, após o advento das novas tecnologias da informação e da comunicação.

As transformações urbanísticas que vêm ocorrendo desde o fim do século XIX proporcionaram à cidade uma espécie de autonomia perversa. O corpo é, hoje, uma das abstrações mais complexas produzida pela urbe. A experiência “carne e pedra” é chave para entender a história do ocidental. Afinal, a cidade é, de certo modo, um abrigo ancestral.

Serviço:

Exposição: “Frequência” – artista: Serge Huot

Abertura: quinta-feira (18 de maio), às 19h

Visitação: até 27 de junho de 2017, de segunda a domingo

Horário de visitação: 8h às 16h30

Local: Galeria de Arte Archidy Picado

Secom/JP

COMPARTILHAR

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO


nove − = 7