O plenário da Câmara rejeitou nesta quarta-feira (07) uma proposta de mudança na reforma da Previdência que impedia que a pensão por morte fosse inferior a um salário mínimo.

O destaque proposto pelo PCdoB queria impedir que a pensão por morte fosse inferior a um salário mínimo. A proposta foi rejeitada por 339 votos a 153.

Esta questão foi um dos principais impasses da reforma no plenário da Casa. Atualmente, nenhuma pensão pode ser menor do que o salário mínimo, mas isso muda com a reforma da Previdência. Pelo texto, o valor da pensão por morte será equivalente a 60% da aposentadoria, acrescentando 10% a cada dependente adicional, até o limite de 100%.

Os deputados também barraram: pedido para incluir no tempo de contribuição pagamento inferior ao mínimo proposta para não restringir o acesso ao BPC (Benefício de Prestação Continuada), pago a idosos e deficientes pobres O texto principal da reforma foi aprovado pelos deputados, em 2º turno, na madrugada desta quarta-feira (7), por 370 votos a favor, 124 contra e 1 abstenção. Agora, a Câmara vota os destaques. Na atual fase de tramitação da reforma, podem ser votados destaques apenas para retirar partes do texto, e não para inserir conteúdos.

Redação com DCM

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here