ENTRETENIMENTO

Exposição com fotos de quilombos é aberta em João Pessoa e vai até janeiro

O Centro Estadual de Arte (Cearte) está promovendo a exposição “Kipupa – Caiana: de malungo pra malungo”, que ficará aberta até o dia 31 de janeiro em horário comercial, de terça à sexta-feira, e programação especial nas noites de quinta, sexta, sábado e domingo.

Nas fotos, os professores Allan Luna e Helder Oliveira revelam a força e história de dois quilombos, um em Pernambuco e outro na Paraíba.  A exposição, que faz parte das festividades da Semana de Arte do Cearte, está montada na Usina Energisa, tem curadoria de Thayroni Arruda e é realizada pela Galeria das Quinze Portas.

Allan Luna e Helder Oliveira registram nas fotos as facetas de dois emblemáticos grupos de população negra, respectivamente, Pernambuco – Quilombo do Catucá, na Zona da Mata Norte, entre Recife e Goiana; e Paraíba – Quilombo de Caiana dos Crioulos, em Alagoa Grande.

Em relação ao título da exposição os fotógrafos explicam: “Malungo é traduzido como “companheiro”, “amigo”, “camarada” e identifica as pessoas que vieram para estas terras no mesmo navio negreiro. Kipupa é união, associação de pessoas em torno de um objetivo. Kipupa – Caiana: de malungo pra malungo é uma ponte entre dois agrupamentos de resistência negra, de dois estados do Nordeste, e entre os vários malungos dessas duas localidades.

“A narrativa visual, que costura as imagens do Kipupa e de Caiana, nos faz refletir sobre a alegria, a autoestima e a força da identidade e ancestralidade da cultura negra, em um constante lutar e resistir. A música, a dança, as relações que se constroem são aqui registradas por ambos os artistas e em ambos os lugares de memória. Uma verdadeira dança de um povo, cheia de equilíbrio, força, delicadeza e musicalidade, sobre a qual se sustenta um enorme senso de comunidade e pertencimento”, frisa o curador da exposição Thayroni Arruda.

Pernambuco – Quilombo do Catucá – O Kipupa, um grande encontro espiritual, em nível nacional, de juremeiros e juremeiras, acontece anualmente no município de Abreu e Lima – PE e já se encontra na sua XIV edição. A celebração acontece nas antigas matas onde existiu e resistiu o Quilombo do Catucá (Zona da Mata Norte, entre Recife e Goiana), durante a primeira metade do século XIX.

Paraíba – Quilombo Caiana dos Criolos – Neste trabalho, podem ser vistas imagens capturadas na mais importante Comunidade Quilombola da Paraíba, Caiana dos Crioulos, com área de mais de seiscentos e quarenta e seis hectares, situada nas serras da zona rural da cidade de Alagoa Grande. O quilombo chegou a alcançar cerca de dois mil habitantes, descendentes diretos de cidadãos africanos escravizados, que se instalaram por lá entre os séculos XVII e XIX.  A suposição é que tenham vindo de Mamanguape, após uma rebelião ocorrida em um navio negreiro que aportou em Baía da Traição nesse período.

DPB com Assessoria

Mostrar mais

DiárioPB

Portal de notícias da Paraíba, Brasil e o mundo

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar
PUBLICIDADE