devedores da PrevidênciaO deputado federal Frei Anastácio (PT/PB) disse, hoje (4), que o Governo Federal, na elaboração do projeto de Reforma da Previdência, atribui todo déficit existente à classe trabalhadora e faz vista grossa à dívida bilionária que bancos, empresas privadas e públicas têm com o INSS. “Querem massacrar a classe trabalhadora e beneficiar os ricos”, disse o deputado.

O parlamentar disse que enquanto o governo aponta sua artilharia para os trabalhadores, deixa os grandes devedores livres de quaisquer ações. “Deveriam editar Medida Provisória, ou Decreto exigindo o pagamento dessa dívida. Mas, o foco é só a classe trabalhadora como a grande vilã”, disse.

Segundo o deputado, se fosse cobrado o que as grandes empresas devem à Previdência Social, o déficit de R$ 195,2 Bilhões da Previdência seria coberto com folga. “Isso porque a dívida estimada, com base em uma lista com os nomes das empresas devedoras em todo Brasil, soma um  valor de R$ 426 bilhões. Só a dívida das empresas representa toda solução do déficit da Previdência. Mas, em vez do governo ir atrás desses devedores, quer penalizar a classe trabalhadora. Isso é uma atitude que mostra, claramente, o comprometimento do governo com o setor empresarial do país”, disse o deputado.

De acordo com o deputado, entre os 400 maiores devedores estão Bradesco (R$ 465,2mi), Itaú (R$ 88,8 mi), Caixa Econômica (R$549,5 mi), Banco do Brasil (208,2 mi), Santander (R$ 80,8 milhões), Banco Rural (R$ 124,8 mi ), CBTU (R$ 131,6 milhões) Friboi (R$ 1,8 bilhão), Jornal do Brasil (274,9 milhões), Lojas Americanas ( R$166 milhões), Oi ( R$ 126,5 milhões), usina  Santa Rita (R$ 205,5 milhões), usina Santa Helena ( R$ 159, 8 milhões), usina Santa Maria ( R$ 76,7 milhões), Vasp ( R$ 1,5 bilhão), antiga Parmalat ( R$ 25 bilhões, isso somando dívida com a Receita, FGTS e INSS).

“Isso é apenas alguns dos casos de devedores, e os números mostram que não há motivo para esse governo golpista penalizar os trabalhadores e trabalhadoras com essa reforma maldita. Os banqueiros estão sorrindo à toa. O Santander, por exemplo, teve um lucro no ano passado de R$ 12,4 bilhões. Um aumento de 25% nos lucros, enquanto massacra os trabalhadores e não paga o que deve à Previdência. Dessa forma, eu sou e serei contra essa reforma que marginaliza a classe trabalhadora e promete indulto para os ricos”, afirmou.

Assessoria

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here