Empresa espanhola arremata aeroporto de João PessoaA empresa espanhola Aena Desarrollo Internacional venceu o leilão pelo bloco de seis aeroportos no Nordeste, incluindo os de João Pessoa e Campina Grande, com um lance de R$ 1,9 bilhão, que será pago à União na assinatura do contrato. A empresa terá de fazer R$ 2,15 bilhões de investimentos nos próximos 30 anos.

O certame ocorreu na manhã desta sexta-feira (15), na sede da B3, em São Paulo. Além dele, foram leiloados outros dois blocos, nas regiões Centro-Oeste e Sudeste.

O bloco do Nordeste era considerado o mais importante da concorrência. Seis grupos fizeram ofertas pelo lote. No fim, houve uma disputa acirrada entre as estatais Aena e a suíça Zurich.

A espanhola Aena é operadora do aeroporto de Madri-Barajas, um dos principais da Europa e não tinha ativos aeroportuários no Brasil até então.

O Aeroporto Internacional Gilberto Freyre, no Recife, é considerado a joia do bloco leiloado.

Com a maior movimentação de passageiros do Norte e do Nordeste, o aeroporto tem lucro anual de R$ 130 milhões.

O terminal, que ainda tenta se consolidar como hub de uma grande companhia aérea, realiza 204 operações diárias entre pousos e decolagens.

O número é maior do que a soma da quantidade de voos diários nos terminais de Maceió, Aracaju, Juazeiro do Norte, João Pessoa e Campina Grande, que completam o pacote nordestino.

Juntos, estes aeroportos realizam 154 voos diariamente.

Bem avaliado pelos usuários, o Gilberto Freyre foi inaugurado em 2004. No ano passado, registrou um aumento de 4,9% na movimentação de passageiros e chegou a receber 8,2 milhões de embarques e desembarques.

A quantidade é maior do que todos os outros cinco aeroportos, que juntos chegam a 5,3 milhões.

 

 

Folha de São Paulo

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO