DesempregadoCom a economia estagnada, o tempo médio em que os desempregados da Região Metropolitana de São Paulo estão buscando trabalho foi recorde no ano passado, chegando a 48 semanas, quase um ano. Houve um aumento nos últimos quatro anos do tempo em que o trabalhador está no desemprego aberto – quando, além de não achar uma vaga formal, não consegue fazer “bicos”. Em 2014, antes da recessão e com o mercado de trabalho aquecido, a situação era bem diferente: o trabalhador ficava a metade do tempo, 23,5 semanas, nessa condição. Em março, o dado mais recente, a busca por uma oportunidade demorava 44 semanas.

Os dados são da pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) em parceria com a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), empatado com 2004.

Segundo o jornal O Estado de S.Paulo, a economista da Fundação Seade, Paula Montagner, lembra que, geralmente, as pessoas que perdem o emprego e demoram para voltar ao mercado acabam dependendo de outros componentes da família para sobreviver.

“Em 80% dos casos, as pessoas mais próximas acabam se virando para dar um suporte. Outros dependem de doações de igrejas ou da comunidade. Mas a situação é muito precária”.

Brasil 247

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here