TECNOLOGIA

Agência denuncia Twitter por favorecer publicações golpistas contra o governo de Cuba

A plataforma fundada pelo magnata americano Jack Dorsey adultera tendências para os usuários, que em vez de ver a hashtag #CubaVive na primeira página, de longe a mais citada na rede, têm acesso direto àquela promovida por grupos desestabilizadores

Prensa Latina (Cuba) – Depois de várias semanas sob cerco, Cuba recebe hoje um ataque com mísseis teleguiados das redes sociais, e mais uma vez o Twitter lidera o ataque contra a Revoluçã

A plataforma fundada pelo magnata americano Jack Dorsey adultera tendências para os usuários, que em vez de ver a hashtag #CubaVive na primeira página, de longe a mais citada na rede, têm acesso direto àquela promovida por grupos desestabilizadores, para criar uma situação – absolutamente virtual – de ingovernabilidade.

Até a madrugada de hoje, a #CubaVive havia sido citado mais de 420 mil vezes globalmente no Twitter nas últimas oito horas anteriores às 02h local, mas foi ignorado nos “trending topics” dos internautas.

No entanto, a marca # 15NCuba, com menos de 300 mil menções em todo o mundo, nesse mesmo período captou todas as atenções e esteve no topo de todas as tendências, apesar de dois em cada cinco dos seus tweets e retuítes terem origem em apenas três relatos, o que representa um ataque controlado à distância – e virtual – contra o governo cubano, em busca de desestabilização.

Com mensagens falsas, vindas de romances de ficção, os usuários @ mjorgec1994, @agusantonetti e @yuniortrebol responderam por 40% dos movimentos iniciais globais relacionados a essa tag no Twitter, de acordo com o site Trendsmap.

Acontece que há algumas semanas o grupo do Arquipélago convocou uma marcha supostamente pacífica pela mudança de regime, mas esta manifestação foi classificada como ilegal pelo governo do presidente cubano Miguel Díaz-Canel, após demonstrar as ligações entre os promotores com grupos extremistas e terroristas, com sede na cidade americana de Miami.

Além disso, a caminhada convocada para esta segunda-feira viola os cânones da Constituição da República, uma vez que viola os direitos dos outros e visa uma mudança na ordem instituída pela lei de direito, submetida a amplo debate popular e posteriormente aprovada em Fevereiro de 2019 com 86,85 por cento dos votos.

Dias atrás, o chanceler cubano Bruno Rodríguez denunciou a campanha desestabilizadora, produzida e patrocinada nos Estados Unidos, que busca relançar os tumultos de 11 de julho, quando cidadãos vandalizaram estabelecimentos e causaram caos.

Rodríguez denunciou que no “Twitter está em andamento uma manipulação grosseira de seu algoritmo para dar a impressão de que há um grande número de usuários localizados em Cuba com posições contra nosso governo”.

Verifica-se que nos Estados Unidos a maior parte dos conteúdos tóxicos que acompanham o rótulo que promovem a desestabilização em #Cuba tem origem, enquanto em outros países sua disseminação é escassa. Não há dúvida sobre a perversidade e a ingerência do imperialismo contra Cuba, sublinhou.

Mostrar mais

Sérgio Ricardo

Sérgio Ricardo é fotojornalista, fundador e desenvolvedor do Portal DiárioPB, Rádio DiarioPB, A Nata do Rock, editor, programador e diretor do Sistema DPB de Comunicação.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar