TELEVISÃO

[VÍDEO] Sikêra Júnior chora ao comentar perda de patrocinadores

O apresentador de TV José Siqueira Barros Júnior, mais conhecido como Sikêra Júnior, chorou diante das câmeras ao contar que venceu processo contra o Sleeping Giants Brasil, movimento digital que tenta desmonetizar empresas que promovem fake news e discursos de ódio. “Eu continuo acreditando na Justiça do meu país”, afirmou, classificando o episódio como “lacração covarde”.

O grupo de ativistas do Sleeping Giants Brasil iniciou uma campanha para derrubar os anunciantes do programa Alerta Nacional, da Rede TV, depois que o apresentador criticou a propaganda de uma rede de fast food. Na ocasião, ele se referiu aos homossexuais como “raça desgraçada”.

Com a mobilização nas redes sociais, 90 empresas deixaram de patrocinar o programa e vídeos de Sikêra na internet, temendo associação ao discurso homofóbico do apresentador.

Sikêra relembrou ao vivo, no programa de quinta-feira (16/9), que passou a ser chamado de investigado. “Por que investigado? Eu, pai de família, trabalhador desde os meus 14 anos e vem um engraçado da vida, que sofreu bullying a vida inteira e quer descontar nas costas de quem não o apoia”, comentou.

Depois o apresentador disse que só tinha a agradecer. “A resposta está dada, a família brasileira está dando a resposta. Demorou, mas é por isso que eu digo: acredito na Justiça do meu país”, falou. Em outro momento, acrescentou que entrou com um processo contra o Sleeping Giants Brasil: “Nós já acionamos a Justiça e eles vão ter que cobrir todos os prejuízos que deram.”

No fim do vídeo, que Sikêra publicou em suas redes sociais, ele se despede dos telespectadores, mas, mesmo atrás das câmeras, dá para ouvir o seu choro, dizendo “oh, meu Deus do céu, o que esses caras fizeram na minha vida…”

Confira:

Correio Braziliense

Mostrar mais

DiárioPB

Portal de notícias da Paraíba, Brasil e o mundo

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar