BRASIL

Reforma do Estado uma ova, Bolsonaro só quer a reeleição

Paulo Guedes e sua turma chegaram a Brasília imaginando que sua agenda de transformação da economia e do Estado seria implantada num passe de mágica. Se houvesse resistência, ela seria tratorada. A batalha seria ganha no primeiro round.

O presidente Jair Bolsonaro e o ministro Paulo Guedes: Reforma? Que reforma? (Crédito: AFP/Arquivos)

Obviamente, não foi assim que as coisas aconteceram. Já na tramitação da reforma da Previdência, que ocupou todo o ano de 2019, Guedes fracassou na tentativa de emplacar seu modelo de capitalização. Agora, na reforma tributária, caminha para nova derrota ao defender a adoção de uma nova CPMF.

Enquanto isso, seus auxiliares também se frustram com as dificuldades e pedem para sair. Nesta semana entregaram os pontos o empresário Salim Mattar, que era secretário de Desestatização, Desinvestimento e Mercados e o executivo do mercado financeiro Paulo Uebel, Secretário Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital.

É importante, no entanto, registrar a diferença entre os dois pedidos de demissão.

Mattar publicou ontem um artigo no site Brazil Journal para se explicar. Ele revelou que, por inexperiência, cometeu um erro logo de largada, na formatação de sua Secretaria: ela ficou sem poder de execução.

Obviamente, não foi assim que as coisas aconteceram. Já na tramitação da reforma da Previdência, que ocupou todo o ano de 2019, Guedes fracassou na tentativa de emplacar seu modelo de capitalização. Agora, na reforma tributária, caminha para nova derrota ao defender a adoção de uma nova CPMF.

Enquanto isso, seus auxiliares também se frustram com as dificuldades e pedem para sair. Nesta semana entregaram os pontos o empresário Salim Mattar, que era secretário de Desestatização, Desinvestimento e Mercados e o executivo do mercado financeiro Paulo Uebel, Secretário Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital.

É importante, no entanto, registrar a diferença entre os dois pedidos de demissão.

Mattar publicou ontem um artigo no site Brazil Journal para se explicar. Ele revelou que, por inexperiência, cometeu um erro logo de largada, na formatação de sua Secretaria: ela ficou sem poder de execução.

Já Uebel entregou os pontos porque percebeu que estava atuando em uma farsa, com roteiro e direção de Jair Bolsonaro.

Fonte: ISTO É DINHEIRO

Carlos GraiebCarlos Graieb

Sobre o autor

Carlos Graieb tem trinta anos de experiência como jornalista e executivo de mídia. Foi secretário de Comunicação do Governo do Estado de São Paulo (2017-2018).

 

Mostrar mais

DiárioPB

Portal de notícias da Paraíba, Brasil e o mundo

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar
PUBLICIDADE