interdita base da ValePela segunda vez em 2019, a Secretaria de Meio Ambiente de Mangaratiba interditou as operações da Vale na Ilha da Guaíba. A operação foi realizada às 8h desta segunda-feira (11). A empresa também foi multada em R$ 30 milhões.

Segundo o Secretário de Meio Ambiente, Antônio Marcos, os motivos para a interdição desta vez “são muito mais contundentes do que quando da primeira interdição”.

A empresa foi multada e interditada após resultado da vistoria feita no final de janeiro deste ano ter apontado uma série de irregularidades. Desde então, a prefeitura expediu várias notificações para a empresa apresentar a certidão de conformidade da licença de operação. Além disso, a Secretaria de Meio Ambiente detectou problemas de poluição com risco à saúde humana.

O município fará, também, uma comunicação ao Ministério Público Federal, que é o órgão competente.

“Eles não operam em conformidade com a legislação ambiental. Além disso, desenvolvem atividades fora dos parâmetros da legislação e de qualidade técnica para o controle ambiental”, disse o secretário.

O secretário afirmou, ainda, que a a prefeitura não pode ficar omissa em relação ao que foi pedido.

“Solicitamos diversas análises de laboratório, técnicas, estudos preliminares, sondagem do terreno, sondagem do mar e das praias do entorno para que eles nos provem por meio de análises desses de estudos que não há poluição mediante a atividade da empresa”.

Segundo o prefeito Alan Costa, a nova interdição foi necessária.

“Esta situação não é interessante para ninguém, nem para a Vale e nem para o município. Porém, a Vale tem que se adequar às normas ambientais e à legislação vigente”.

O G1 entrou em contato com a assessoria de imprensa da Vale para pedir um posicionamento. Até o momento, não houve retorno.

G1

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO