BRASIL

Mulher é presa por racismo após cuspir em taxista e dizer que “não anda com negro”

Uma mulher que não teve seu nome revelado está detida na Deplan 2, da Polícia Civil, em Belo Horizonte, por cometer um ato de rascimo. Segundo o jornal O Tempo,  o taxista Luís Carlos Alves Fernandes, de 51 anos, foi vítima de racismo pela primeira vez.

Ao ser questionada pelo motorista se precisava de uma corrida, a mulher que passava pela avenida Álvares Cabral, no bairro Santo Agostinho, na região Centro-Sul da capital, no meio da tarde, disse que não andaria com um negro.

De acordo com Fernandes, a mulher, muito exaltada, afirmou ser racista e chegou a cuspir nele. “Eu estava no ponto de táxi e a vi atravessando com o pai dela. Ela estava agredindo-o com palavras, passou olhando dentro dos carros, e eu perguntei, por educação, lógico, se ela estava precisando de táxi. Aí ela respondeu: ‘Precisando eu estou, mas eu não ando com negro, eu sou racista, sou racista mesmo’, e ela ainda deu uma cusparada nos meus pés”, contou o taxista.

Mostrar mais

DiárioPB

Portal de notícias da Paraíba, Brasil e o mundo

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar
PUBLICIDADE