Enquanto muitos apostam que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fará um governo marcado pelo ressentimento, caso retorne ao poder, ele postou um vídeo neste domingo para provar que continua a ser o velho “Lulinha paz e amor”.

“Menos ódio, mais amor, menos ódio, mais tolerância, menos preconceito e mais compreensão”, disse Lula.

Ele afirma que o Brasil se tornou, com o golpe, uma nação de baixa auto-estima, em que todos ficaram azedos. Lula disse ainda que vai dedicar o tempo que lhe resta para provar que o Brasil pode voltar a ser uma nação que desperte orgulho dos brasileiros e admiração do mundo, como ocorreu durante seus dois governos.

Lula foi condenado a nove anos e meio de prisão pelo juiz Sergio Moro, mas já apresentou recursos contra essa decisão que vem sendo amplamente criticada nos meios jurídicos.

Confira acima o vídeo e, abaixo, reportagem da Reuters sobre os recursos apresentados por Lula:

SÃO PAULO (Reuters) – A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu na noite de sexta-feira a primeira resposta formal contra a condenação do petista, determinada pelo juiz Sérgio Moro, ao solicitar embargos de declaração para esclarecer “omissões, contradições e obscuridades” existentes no processo.

Lula foi condenado a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro no caso envolvendo um tríplex no Guarujá

No documento protocolado na Justiça Federal de Curitiba, a defesa de Lula vê, por exemplo, omissão com a pena aplicada; omissão e contradição quanto à origem dos valores utilizados no custeio do empreendimento e das melhorias na unidade do tríplex; e omissão, contradição e obscuridade ao desqualificar as declarações prestadas pelas testemunhas de defesa.

Ao todo, foram listados 10 questionamentos da defesa de Lula para Moro.

“A sentença embargada dedica longos parágrafos…para promover ataques contra o ex-presidente Lula e seus defensores”, escreveram os advogados Cristiano Zanin Martins, Roberto Teixeira, José Roberto Batochio e Valeska Teixeira Zanin Martins.

Os pedidos da defesa de Lula deverão ser analisados pelo próprio Moro. Os advogados ainda podem recorrer da condenação de Lula ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região

Na primeira sentença entre os três processos em que Lula é acusado no âmbito da operação Lava Jato, Moro também determinou a proibição de o ex-presidente exercer qualquer cargo público por 7 anos, o dobro do tempo de pena imposta pelo crime de lavagem de dinheiro.

No entanto, somente se a sentença for confirmada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, Lula estará impedido de ser candidato. Após a condenação, Lula anunciou que buscará ser candidato à Presidência no ano que vem pelo PT e que os que acreditam que a condenação vão “quebrar a cara”.

Brasil 247

COMPARTILHAR

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO


+ 5 = catorze