auxílio-moradia dos BretasO ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes pediu a seis órgãos públicos que investiguem “eventuais irregularidades” no caso do juiz Marcelo Bretas e de sua mulher, a também juíza Simone Bretas, informou o colunista Bernardo Mello Franco, do Globo.

Foram acionados o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o Conselho da Justiça Federal, a Presidência e a Corregedoria do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, a Procuradoria-Geral da República e a Advogacia-Geral da União.

O caso dos Bretas causou escândalo depois de a imprensa divulgar que o casal recebia auxílio-moradia dobrado, cada um no valor de R$ 4.378, mesmo tendo mais de um imóvel no Rio de Janeiro. Reportagem recente da revista Piauí aponta ainda que os dois possuem um patrimônio imobiliário de R$ 6,4 milhões e salário mensal conjunto de cerca de R$ 90 mil (leia mais).

Titular da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, onde correm os processos da Lava Jato no Estado, Marcelo Bretas foi à Justiça pedir o auxílio-moradia dobrado. A sentença favorável ao casal foi assinada pela juíza Frana Elizabeth Mendes, então titular da 24ª Vara Federal do Rio. Ao determinar a investigação, Gilmar criticou a Advogacia-Geral da União pela demora para recorrer contra a concessão do benefício.

Brasil 247

COMPARTILHAR

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO