O Facebook permitirá mais conteúdo em sua plataforma, que havia removido fotos por violar suas regras, disse um executivo sênior da empresa nesta segunda-feira, após a controvérsia sobre a remoção de uma foto icônica da Guerra do Vietnã.

A imagem mais famosa da Guerra do Vietnã, feita pelo fotógrafo Huynh Cong 'Nick' Ut, da Associated Press, completa na semana que vem 40 anos desde o dia em que foi tirada. A menina Kim Phuc, hoje aos 49 anos, conta que a fotografia passou a 'persegui-la'. (Foto: Nick Ut/AP)
A imagem mais famosa da Guerra do Vietnã, feita pelo fotógrafo Huynh Cong ‘Nick’ Ut, da Associated Press, completa na semana que vem 40 anos desde o dia em que foi tirada. A menina Kim Phuc, hoje aos 49 anos, conta que a fotografia passou a ‘persegui-la’. (Foto: Nick Ut/AP)

Os comentários vêm após uma disputa em setembro entre a empresa e a primeira-ministra norueguesa Erna Solberg após o Facebook excluir a foto de uma menina nua fugindo de um ataque de napalm, chamado “The Terror of War”.

“Fizemos uma série de mudanças de regras após a foto ‘O Horror da Guerra’. Temos melhorado nosso processo para garantir que imagens e casos controversos venham à tona mais rápido”, disse Patrick Walker, diretor de parcerias de mídia do Facebook para a Europa, Oriente Médio e África.

“Nnas próximas semanas, vamos começar a permitir mais itens que as pessoas acham interessante ou importante para o interesse público, mesmo que de certo modo possam violar nossas normas”, disse Walker numa reunião da Associação de Editores noruegueses em Oslo.

O Facebook readmitiu a fotografia vencedora do prêmio Pulitzer após Solberg e outros acusarem ​o Facebook de censura e de editar a história apagando a imagem de suas contas devido a restrições para nudez. O Facebook recuou, afirmando que a importância histórica da foto se sobrepunha às suas regras.

Por Reuters

COMPARTILHAR

DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO


8 − três =