JOÃO PESSOA

Elefanta Lady sofre maus-tratos e corre risco de morte na Bica, diz laudo

A elefanta Lady, que vive no Parque Zoobotânico Arruda Câmara (Bica), em João Pessoa, está sob maus-tratos e corre risco de morte, de acordo com relatório elaborado por médicos veterinários enviados pelo Ministério Público Federal (MPF) e Procuradoria da República para apuração de denúncias.

Lady tem 47 anos e está recolhida na Bica desde 2013, quando foi resgatada do Circo Europeu Internacional. A avaliação da situação da elefanta aconteceu no dia 22 de maio deste ano e o Portal Correio teve acesso ao laudo, que afirma que a Bica não possui condições para abrigar o animal. O diretor administrativo do parque, Jair Azevedo, assegura que os dados divulgados no laudo pericial não condizem com a realidade, mas ele ainda aguarda a notificação oficial do Ministério Público sobre o caso.

Saúde afetada

Durante os exames, os médicos veterinários identificaram em Lady lesões físicas, como pododermatite (lesão infecciosa que causa dor, crescimento excessivo das unhas, odor fétido e exsudação ao redor das unhas); inflamação e dor em membros; restrição de movimentos das articulações; relutância em se movimentar; e marcha atípica.

Na conclusão dos profissionais, Lady está em sofrimento há pelo menos três anos devido à pododermatite. O laudo aponta que a elefante vive sob maus-tratos por negligência crônica, diária e contínua, pois não recebe tratamento adequado. Essa situação, ainda segundo os peritos, coloca Lady em risco de morte, por consequência de uma possível osteíte séptica.

“A patologia que mais mata elefantes em cativeiro em todo o mundo é a infecção generalizada consequente à osteíte séptica devido à pododermatite avançada. O tratamento deve ser diário e contínuo, necessitando de equipe capacitada e experiente para aplicar o condicionamento operante para diminuir o estresse durante o manejo. O zoológico não possui condições necessárias para os cuidados devidos e diminuição do sofrimento de Lady”, destacam os peritos.

Outro apontamento feito pelos médicos é que Lady passa por abuso psicológico quando na presença de seu antigo tratador. O diretor da Bica, Jair Azevedo defende, no entanto, que o homem ajuda nos cuidados da elefanta.

À reportagem, Jair disse reconhecer que para uma adaptação total às necessidades da elefanta, o zoológico precisa construir um ambiente, uma espécie de contêiner, no qual Lady possa entrar para ser tratada adequadamente pela equipe de veterinários, que, dentre as atividades desempenhadas, atuam em uma espécie de ‘manutenção’ das patas do animal, cortando suas unhas e evitando inflamações. Na situação presente, de acordo com o diretor, isso só é possível com a presença do antigo tratador que convivia com ela em épocas de circo. “Ele a mantém calma enquanto os funcionários da Bica atuam nos cuidados necessários”, argumenta.

Atualmente, conforme explicou, as patas de Lady estão um pouco inflamadas devido à necessidade desse acompanhamento, que só será possível no mês que vem. “O antigo tratador virá à Bica em agosto. No mesmo mês, virá o projetista do ambiente necessário para os tratamentos, cujo orçamento ainda será definido. Com a construção desse local, não será mais necessária a presença do antigo tratador”, revela Jair, que ressalta que Lady não sofre de qualquer dependência psicológica da presença do cuidador que acompanhou seu crescimento.

Falta de estrutura

De acordo com os peritos, a Bica não oferece segurança, tampouco conforto, a Lady. “Havia postes não aterrados e cerca sem manutenção em diversos pontos. A área coberta do recinto apresentava problemas com vazamento do bebedouro e escoamento de água, formando poças de água e lama”, diz o relatório. “Ao redor das 11h30, a cerca elétrica estava desligada e Lady começou a arrancar um poste de madeira”, reporta outro trecho do documento.

Quanto aos problemas estruturais na Bica, o laudo destacou: falta de água límpida disponível 24h por dia; falta de enriquecimento ambiental; instalações inadequadas; falta de equipe capacitada para implantação do condicionamento operante positivo; cuidados veterinários inadequados; e falta de radiografia e outros exames complementares para o diagnóstico dos problemas locomotores apresentados por Lady e implantação do tratamento mais adequado, de forma emergencial.

“É uma coisa totalmente contestável. Existem interesses escusos de levar Lady para o Santuário de Elefantes na Chapada dos Guimarães (MT). Na Bica o animal não sofre maus-tratos e o ambiente que ocupa é adequado. Para se ter uma ideia, o mexicano Gerardo Martinez, um dos maiores especialistas em elefantes do mundo, nos visitou e disse que temos o melhor recinto para elefantes do Brasil”, finaliza o diretor, Jair Azevedo.

As informações são do Portal Correio

Mostrar mais

DiárioPB

Portal de notícias da Paraíba, Brasil e o mundo

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar