COLUNAS

Partidos políticos e cidadania. Defina-se!!!

Ser Cidadão é ter a consciência de seus Direitos e Deveres para com a Sociedade.

No intuito de conscientizar os amigos e amigas da importância do conceito Cidadão da Democracia, no momento de sua convicção, ao optar por um Partido Político, fiz esse breve resumo explicativo. A Constituição Brasileira, nossa Carta Magna, no seu Art. 17 Cita: “É livre a criação, fusão, incorporação e extinção de partidos políticos, resguardados a soberania nacional, o regime democrático, o pluripartidarismo, os direitos fundamentais da pessoa humana”.  Conforme a Norma Constitucional, o Brasil adotou o Regime Democrático com o Pluripartidarismo, fato esse, que causa infindáveis e calorosos debates para a efetivação de uma Reforma Política que atenda aos anseios gerais. Segundo dados do TSE – Tribunal Superior Eleitoral, o Brasil conta hoje, com 33 Partidos Políticos devidamente Registrados e outros tantos em processo de formação.

Recebe o nome de partido político a organização burocrática que tem por objetivo conquistar e exercer o poder político. Dotados de uma ideologia, o partido político é uma organização que defende o interesse de uma parcela da população, e buscando promovê-la, organiza-se para disputar eleições, conquistar cargos e assim, fazer valer seus projetos. Assim disposto, nota-se que o Partido Político é uma Instituição criada, baseada numa ideologia política, que irá defender os interesses de uma “determinada” parcela da população. Subentende-se que você, pode não estar incluído nos interesses que determinado Partido Político irá defender, baseando-se na ideologia descrita no seu Estatuto Social e nas suas ações políticas. Portanto, é condição sine qua non que o Partido Político expresse, em seu Estatuto Social, seu viés político, se é de esquerda, de direita, de centro, etc. Pois, é nessa sua definição, de sua condição política, que irá dizer a quem irá servir e a quem irá representar.

Para tentar definir e qualificar os Partidos Políticos, dentro dos seus vieses ideológicos, analisando os escritos dos teóricos da atualidade baseando-me nas suas conceituações, que passo a transcrever, de forma sucinta, para um melhor entendimento dos amigos e amigas:

O que é Esquerda: Esquerda é o termo usado para denominar um posicionamento político, partidário e ideológico que tem como principal objetivo a defesa de interesses de grupos sociais e de igualitarismo. A ideologia política de esquerda defende que o controle feito Estado, através dos seus governos, é a solução para que exista igualdade entre os cidadãos. De acordo com essa idéia, o Estado deve controlar o funcionamento de vários setores da sociedade, além de ser responsável por proporcionar educação, saúde, trabalho e outros direitos básicos aos cidadãos. A ideologia de esquerda defende, principalmente, as classes sociais menos favorecidas na sociedade, ou seja, aquelas que necessitam de mais atenção e serviços públicos. Os grupos de esquerda também são conhecidos por apoiarem sistemas de reformas sociais, como o socialismo e o comunismo.

O que é Direita: Direita é uma palavra usada para representar um posicionamento político, partidário e ideológico. De acordo com o conceito das Ciências Políticas o posicionamento político de direita é marcado por características mais conservadoras em relação a aspectos sociais e de governo. Quando uma pessoa se identifica com a ideologia política de direita ela costuma dar prioridade aos direitos individuais em relação aos direitos coletivos. Também é comum que considere valores religiosos e tradicionais como fundamentais para a sociedade. A direita também defende que o poder do Estado seja limitado, que os governos não tenham tanto poder sobre o funcionamento e a regulamentação dos setores da sociedade e das empresas. Isso significa que parte da responsabilidade deve ser dos cidadãos e não do Estado. A direita também acredita no conceito de livre mercado, em que as empresas tenham liberdade para agir e se regulamentar por conta própria, sem sofrer intervenção por parte do Estado.

A Conceituação que define os Partidos de Centro-Esquerda e Centro-Direita é um tema controverso, visto que se baseiam nas suas ações e posicionamentos políticos, estes Partidos não expressam sua ideologia de forma clara e precisa, situam-se ao centro do debate (neutralidade), e pendem, ao bel prazer, para as ideologias existentes, de acordo com a necessidade que se apresenta. Um partido de centro não é nem capitalista extremado nem socialista, mas ele vê a necessidade de defender o capitalismo sem deixar de se preocupar com o lado social. Na visão da política de centro, não deve haver extremismos ou intransigências na sociedade. Como a função existencial do Partido Político é a defesa dos interesses de determinada parcela da população, a ausência da definição de quem servir, leva a grande maioria dos Partidos de Centro ao Corporativismo, a defesa de seus próprios interesses.

Nos últimos tempos, passou-se a associar a política com politicagem, algo feito pelos políticos por interesses. Mas somos seres políticos em nossa essência, precisamos colocar nossas opiniões para chegar a um caminho comum. Política tem a ver com diálogo, negociação e intermediação de interesses. Mesmo que não chame de política, a gente faz isso o tempo inteiro. É parte da nossa natureza. A política se constitui em algo sempre presente na vida do homem a partir do momento em que ele relaciona-se com a vida em sociedade na busca constante de transformações de uma realidade insatisfatória para eles. O ser humano portanto, tem todos os meios para mudar sua própria história que está intrinsecamente ligada à política como afirma o filósofo Aristóteles no século IV a.c “O homem é, por natureza, um animal social e político”.

Nos dias atuais, o sentido de política ainda não é compreendido pela maioria da população, não entendem a real dimensão e conceito de (Estado, Partido, Representante Político e etc.), atribuindo aos mesmos o poder de decisão, deixando, a cargo deles, a criação de ideologias que visam unicamente seus interesses individuais não se constituindo a boa política, pois não atende ao interesse coletivo, ocasionando uma insatisfação na maioria da população que não foram atendidas. A população, devido ao inconsciente coletivo, por não entender e participar da atividade política, não entender sua importância na consecução dos seus objetivos, que é melhoria da qualidade de vida e trabalho, a busca da felicidade, numa sociedade prospera, justa e igualitária, não atuam de forma positiva na escolha de seus representantes, o que gera o mau político, o político corrupto, lacaio das Empresas nacionais e multinacionais.

A Política é algo que precisa da participação de todos para que os direitos dos cidadãos sejam efetivos. Portanto, a construção da democracia está intimamente ligada ao engajamento do povo nas questões de seu país, para que não existam cidadãos alienados e um Brasil estagnado econômica e culturalmente. Defina-se, você participa ativamente das decisões no momento que elegem seus representantes, são eles que irão traçar, dentro das casas legislativas, nas três esferas (Municipal, Estadual e Federal), os destinos da sua cidade, seu Estado, sua nação.

Marcelino Chagas

Professor e Ativista Político

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar