OPINIÃO

O mundo esta doente por falta de humanidade

Triste ver o Planeta Terra doente por ter pouca “humanidade”. Aos poucos estamos vendo sobressair às enfermidades da Sociedade, que antes eram escondidas, É repugnante, para a Comunidade Global, ver, enxergar, as feridas que agora estão expostas. Nunca dantes teríamos as condições de enxergar tão claramente o como e o porquê destas infecções, foi necessário um Vírus dessa magnitude para abrir “Mentes e Corações” e clarear os espíritos do entendimento. O Convid-19, que passou da histeria a Pandemia de forma rápida, parece uma coisa sobrenatural, coisa do “Divino”, tão bem retratado nos dogmas religiosos, vem dar um “freio de arrumação”, vem como um alerta, avisando que fazemos parte de um todo, que nossas vidas e ações são interligadas, que os processos sociais, culturais e econômicos, são partes de um mesmo sistema que precisam ser harmônicos e que, no momento que esquecemos isto, estamos perdendo a “Humanidade”.

No Século XVI, a Europa vivia ainda as agruras da Idade Média, período Medieval em que a humanidade vivia o Estado da Servidão. Reis e Rainhas, Duques, Barões, aquartelados em seus Castelos, dominavam o Mundo. O Sistema de Monarquias, baseados na “Propriedade Privada” mantinham o domínio sobre a massa de excluídos, a exploração do homem (ser), era o Regime Feudal. Muito bonito nos Filmes. O Feudalismo se constituiu baseado na agricultura, tornava o homem não livre, presos aos Feudos, trabalhavam toda vida para alimentar seus Senhores. Este Sistema se manteve

 

por Séculos, baseados na ignorância e na religiosidade. E é neste período, que aparece a “Peste Negra”, uma pandemia, isto é, a proliferação generalizada de uma doença causada pelo bacilo Yersinia pestis, que se deu na segunda metade do século XIV, na Europa, matando milhões de pessoas, sendo considerado um dos períodos mais trágicos da Humanidade. Lembrando que a Peste Negra tem sua origem no continente asiático, precisamente na China. A disseminação dessa peste causou uma série de acontecimentos que contribuíram para a Crise da Baixa Idade Média, como as revoltas camponesas, a Guerra dos Cem Anos e o declínio da cavalaria medieval. Note-se que, foi por causa desta calamidade, que o Homem, condenado a “Servidão”, com a benção de Deus, pois a Igreja assim dizia e incutia nas mentes humanas, não lhes dando o direito ao saber, ao conhecimento (parecido com os dias de hoje), essa mazela, essa Pandemia, aparece como uma luz que lhes abre a mente e os ajuda a libertar-se das correntes, do jugo da Servidão.

Passados cinco Séculos, fomos aos poucos esquecendo as experiências passadas, por uma imposição do um novo modelo de exploração, o Capitalismo, que nasce com o fim do Feudalismo, quando o homem se nega a ser Servo, nascendo o Mercantilismo e posteriormente o processo de Monetarização, dando-se o início da Idade Moderna. O Capitalismo nasce desse novo modo de viver e passa a ser uma nova forma de exploração, e para manter seu poder e domínio, mesmo com todos os avanços Mercadológicos e Tecnológicos, ainda herda do Regime anterior algumas artimanhas para manter a dominação, dentre elas está ignorância e a religiosidade. Acrescentando, nestes novos tempos, o poder da informação, a imprensa falada, escrita e televisada, além das tecnologias digitais hoje tão em moda. A história se repete, mudam-se os Atores, muda-se o Cenário, mas o Enredo permanece. Não é a toa que o Presidente da República vem a público, em alto e bom som, e diz que o País precisa mudar os livros escolares, que esses livros “tem muitas letras”, ele está dizendo que o povo não precisa ler, não precisa aprender tudo, que só deve ser ensinado o que interessa para manter a exploração. Manter um povo na ignorância, sem boas escolas, ensino sem conteúdo, professores mal pagos e desmotivados, tudo isso faz parte de uma estratégia de dominação.

Uma Frase Clássica dos Cursos de História: Quem não Estuda sua História, não conhece seu presente e não terá futuro. A questão da pouca letra, a falta do Conhecimento, do Saber, ta levando a Humanidade a cometer os mesmos erros, retornar ao Medievalismo, a Servidão. A exploração do trabalho humano e sua expropriação só estar sendo enxergada agora, com o Coronavírus, a população está vendo que o importante não é o Capital, tido como moeda de troca, especulativo, que nada produz, muito menos o Capitalista, dono do Capital, um parasita que vive de sugar, de se apropriar do excedente (Marx chama de Mais Valia), fruto do trabalho produzido por milhões de homens e mulheres. E a frase mais ouvida neste período de Isolamento Social: “Se os trabalhadores e trabalhadoras, os mais humildes, que vivem em Guetos e Favelas, que se locomovem amontoados em ônibus ou trens lotados, não forem trabalhar, mesmo arriscando-se a contrair e proliferar o Vírus, o País para.” Durante, este período de Pandemia ouvi frases vindas dos poderosos, da Elite, tipo: “Estamos no mesmo barco”, “Precisamos unir esforços”, “Temos que cuidar dos “Vulneráveis”. Até nomes bonitos, termos técnicos, o “vulnerável” nada mais é que o Favelado, que foram empurrados para as periferias das grandes Cidades morando em Favelas, que eles chamam de “Comunidades”, sem água, sem saneamento básicos, sem Empregos, sem Escolas, sem intervenções do poder público, em péssimas condições de subsistência.  E é por que não falei dos abandonados pelo Sistema Capitalista, os Moradores de Rua. O Corona vírus, o Convid-19, é uma doença Democrática, ela não escolhe Classe Social, Raça, Gênero, pega todo mundo, pobres e ricos e, convenhamos, ela não é uma doença nascida do pobre, foi necessário que um rico, com muita grana pra pagar a passagem de um avião, se deslocasse até a China, Japão, Europa e voltassem trazendo o Vírus, ainda lembram da Comitiva do Presidente que foi aos Estados Unidos e trouxe o Vírus, até agora não sei o que ele foi fazer lá. E é por ser uma doença que afetou a Elite, chegou até ao Palácio Presidencial, ao Congresso Nacional, ao Senado Federal, que está havendo todo esse cuidado na busca de sua cura, senão estaríamos morrendo aos milhares.

Como se deu, no Século XVI, a Peste Negra, nós temos a certeza que, mais cedo ou mais tarde, nossos Cientistas, aquele pessoal que aqui no Brasil recentemente, teve suas Bolsas de ;estudos e Pesquisas (CNPq e CAPES) canceladas pelo Governo Federal, encontrarão uma Vacina, uma Formula para a cura, e que esse Período nos faça repensar o Mundo que queremos, a forma e as ações de Governo que queremos. Que ao termino

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar
PUBLICIDADE