OPINIÃO

Capitalismo: Ganância e Acumulação. As origens do mal

Parafraseando o grande pensador Rosseau do Sec. XVI, quando descreve o “homem natural” como um ser solitário, possuidor de um instinto de autopreservação, dotado de sentimento de compaixão por outros de sua espécie, Rousseau chega à conclusão de que mesmo antes da razão, dois princípios básicos regem a alma humana: um é o sentimento de autopreservação e o outro é o sentimento de comiseração. Aquele primeiro homem, O homem natural, vive o presente, é robusto e bem organizado, apesar de não possuir habilidades específicas, pode aprendê-las todas, é inocente não possuindo noções do bem e do mal e possui duas características que o distingue dos outros animais que são a liberdade e a perfectibilidade. A perfectibilidade é um neologismo criado por Rousseau para exprimir a capacidade que o homem possui de aperfeiçoar-se. E é essa capacidade que gerou esse Capitalismo desenfreado, a busca constante pela acumulação que se vê hoje, o nosso, o coletivo, tornou-se o meu, minha posse, a Propriedade Privada. A busca incessante pela acumulação de riquezas a qualquer custo, inclusive, impondo ao outro, ao seu semelhante, a fome, a miséria, a falta de condições mínimas de sobrevivência. O Capitalismo tornou isso natural, apoiado pela mídia que forma o inconsciente coletivo. O EU se sobrepõe sobre o NÔS.

Um caso emblemático, aconteceu agora recente, o famoso e midiático caso do Ronaldinho Gaucho. Um cara que nasceu “pobre”, sem acesso a Educação, recebe o dom divino de ser bom de bola, isso o leva aos píncaros da glória, fama, dinheiro, Contratos milionários, e nada sacia sua fome de acumular riquezas. Não é de hoje, antes já tinha sido acusado de sonegar impostos, “na Europa”, pois aqui no Brasil, sabe como é. Essa ganância, essa falta de ética, leva um cara, que não precisava mais, a falsificar documentos para se apossar das riquezas de outro País, através de acordos espúrios, com o discurso de criar ONG,s para trabalho sociais, que nada mais é que Instituições de fachada para lavagem de dinheiro.

Vivemos tempos difíceis, a humanidade estar se tornando “desumana”. Quando alguém pratica uma boa ação, tal como devolver uma carteira que achou, vira capa de jornais, como se isso fosse algo notório, incomum, quando na realidade isso não passa de um dever ético, moral. O Professor que finge que ensina; O Policial que finge que cumpre seu dever; O Servidor público que finge servir ao público; O político que finge cumprir suas funções Constitucionais, etc. Cada Ato desses, coletivo ou isoladamente, gera danos irreparáveis na sociedade, e o pior é que, esta mesma sociedade não enxerga os malefícios que essas ações trazem, a ignorância permeia os lares e as cidades, essa mesma ignorância leva milhões a miséria, que leva as drogas, a insensatez. E você, não se ache imune a isto, no mundo e na vida, tudo volta, É o caso da Lei do Carma, a “lei do retorno”, pela qual tudo o que fazemos, pensamos e sentimos é lançado ao mundo como uma onda de força que, depois, volta para nós. Muitas vezes acrescida e aumentada com a força de quem a recebeu, tal qual a Lei de Newton. Portanto, no momento que você explora o trabalhador assalariado pagando salários irrisórios, não lhes dando condições mínimas de subsistência, você estará criando famílias miseráveis, que irão morar em guetos, que não irão pode dar educar seus filhos que, com raras exceções, irão se tornar bandidos, drogados, etc, que irão te assaltar, te roubar, te matar. E você dirá que não é sua culpa, é dele!!!

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar
PUBLICIDADE